AINDA SOMOS MUITO BOAS NISSO

   

Silvana Duboc


Quem disse que boas nisso já fomos?
Ainda somos!
Nós, as de quarenta
Também as de cinquenta
Até as de sessenta
Continuamos sedentas

Na verdade o que tem faltado
É um parceiro gabaritado
Um homem realmente desejado
Que chegue marcando presença
Com aquela eloquência
Da plenitude da juventude

Hoje embora mais carentes
Nos tornamos mais exigentes
O feijão com arroz já não nos satisfaz
Queremos mais

Pra nos fazer gozar
Não basta apenas penetrar
Tem que saber chegar
Saber como pegar
Saber até a hora certa de soltar

Agora é que ficamos realmente boas nisso
E eles têm medo de correr esse risco
E foram se acomodando nas peles com viço
Pra provarem a si próprios
Que desempenham bem o seu ofício

Tudo auto afirmação
Porque no fundo eles sabem muito bem o que é bom
Muita experiência
Indecência e tesão

E é por isso que aquele que está começando
E que do viagra ainda não está precisando
Para o nosso lado sempre vai se chegando

Ainda somos boas, muito boas nisso sim
Falta apenas aquele sino tocar
E alguém nos despertar

Ah ...e falta também
Debatermos mais esse assunto
Nas mesas dos bares
Com as nossas amizades
Nos almoços dos domingos à tarde
Porque nós mulheres
Somos todas iguais
Em qualquer idade
Mesmo as tímidas e caladas
Agitadas e espevitadas
Calmas e assentadas
Circunspectas e reservadas

Quando fomos criadas
No nosso invólucro foi colocada
Uma mensagem que deveria por eles ser decifrada
Que diz assim:

Mercadoria resistente ao tempo
E caso seja danificada
Com o estímulo bem feito
Volta a funcionar como antes funcionava.